Chegou a hora de amansar o leão

Prezado Investidor (a)

Todos os anos nós falamos com nossos clientes sobre a oportunidade de pagar menos IR com os planos de previdência, e para que nós consigamos falar com todos vocês esse ano, vamos fazer diferente, preparamos um relatório completo para mostrar como economizar na sua declaração de imposto de renda no exercício de 2019/2018.

Esse relatório é para ler com atenção porque literalmente essa informação vale dinheiro (e muito), você inclusive pode passar pra todos os seus amigos para que eles possam também usufruir desse benefício fiscal.

Para facilitar o entendimento desse relatório vou dividir ele em três partes:

Passo 1 – Quem tem direito a esse benefício

Passo 2 – Como escolher um fundo de previdência

Passo 3 – Qual o melhor regime de imposto de renda

 

PASSO 1 – QUEM TEM DIREITO A ESSE BENEFÍCIO

Todos os brasileiros reclamam que pagam muito imposto mas o que poucos sabem é que aqueles que possuem a declaração do imposto de renda do modo completo pode aproveitar para amansar o leão do imposto de renda.

É isso mesmo, além dos gastos com educação, INSS, despesas médicas, dependentes e etc. Você também pode abater os gastos que você teve com sua previdência PBGL, o VGBL não tem esse benefício, ok?!

Mas vamos com calma também pois o abatimento, tem um limite de 12% da sua renda brutal anual (Ex.: Se você ganha R$ 100.000,00 por ano você pode fazer uma dedução de R$ 12.000,00 por ano ou R$ 1.000,00 por mês.)

Fazendo esse aporte de 12% a sua renda tributável diminui, então os 27,5% do IR incidem em uma renda anual tributável menor, confira o exemplo abaixo de uma pessoa com PGBL e sem PGBL para uma renda de R$ 100.000,00 por ano.

Ahhhh… não sabia disso desde Janeiro?! Sem problemas você ainda pode fazer isso esse ano mas corre porque o tempo está acabando. Se você tem dúvida sobre qual é o seu regime de imposto, recomendo que ligue para o seu contador para aproveitar ainda esse ano.

PASSO 2 – COMO ESCOLHER UM FUNDO DE PREVIDÊNCIA

O que temos visto muito em 15 anos trabalhando com previdência privada é que tem muita gente com planos de bancos com taxas de 3% de administração, 3% de carregamento na entrada e mais ainda seguro de vida embutido (seguro é seguro, previdência é previdência, vamos combinar isso, ok?!) sem contar aqueles que possuem um seguro de vida resgatável vendido como previdência (mas esse é um tema para um próximo relatório).

Um bom fundo de previdência privada é aquele que não possui taxa de carregamento na entrada, e não tem uma taxa maior que 1,5% de administração se for um fundo de renda fixa ou maior que 2% se for um fundo multimercado, e como falei anteriormente nada de embutir seguro de vida junto com previdência (seguros de vida vou abordar também em outros relatórios).

“mas você falou fundo renda fixa e fundo multimercado, qual é melhor?” Essa pergunta na realidade não tem uma resposta, tudo depende do seu perfil do investidor, mas o que você pode fazer é ter os dois, afinal quem não gosta de suco de laranja com acerola?!

Só não vai ficar no banco com uma taxa astronômica só pela segurança do banco, ahhh deixa eu te contar outra coisa que ninguém vai te falar, mas está lá no regulamento dos planos de previdência, esse eu tirei de uma parte do regulamento de um dos maiores bancos estatais do brasil.

“As aplicações realizadas no FUNDO não contam com a garantia da ADMINISTRADORA ou do Fundo Garantidor de Créditos – FGC.”

Isso quer dizer que não é o banco que garante os seus recursos da previdência e a portabilidade é um direito do cliente de trocar a sua instituição, caso não esteja satisfeito com os rendimentos dos seus recursos.

PASSO 3 – QUAL O MELHOR REGIME DE IMPOSTO DE RENDA

Essa é um decisão que você deve tomar com muito cuidado, pois é na hora do saque que você vai sentir o benefício que essa decisão pode te trazer.

Sempre que fazemos uma previdência privada é necessário escolher um regime de imposto de renda, pois quando chegar o inicio do período de concessão, você vai querer usufruir de todo esse imposto economizado, e você pode fazer isso de uma vez ou aos poucos. O que eu não sugiro é que você transforme todo o seu recurso acumulado em renda vitalícia, você pode fazer saques eventuais e continuar com o seu capital rendendo, e ter recursos em previdência é interessante, pois dentre um dos benefícios da previdência é não entrar no cálculo do ITCMD, em caso de falecimento do titular da previdência (esse também é um assunto para outro relatório).

Voltando a falar dos regimes de impostos eles são dois, que explico logo abaixo:

1 – Compensável ou Progressivo – Nesse regime de imposto o que importa é quanto você acumulou, e o quanto você vai pagar de imposto é a famosa tabela do IR vigente na época, a de 2016 segue abaixo.

Base de cálculo (R$) Alíquota (%)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5%
De 2.826,66 até 3.751,05 15%
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5%
Acima de 4.664,68 27,5%

Para resgates a alíquota é de 15% na fonte e o restante deverá ser pago no próximo ano em sua declaração anual de acordo com o somatório da sua renda anual.

2 – Regressivo ou Definitivo – Nesse Regime de imposto o que importa é quanto tempo você vai ficar no plano, então quanto mais tempo você demora para sacar seus recursos menor é o IR a pagar, afinal esse é o dinheiro da sua aposentadoria, correto?! Segue a tabela abaixo:

Prazo de acumulação Alíquota de Imposto de Renda na Fonte
Até 2 anos 35%
De 2 a 4 anos 30%
De 4 a 6 anos 25%
De 6 a 8 anos 20%
De 8 a 10 anos 15%
Mais de 10 anos 10%

É bom dizer também que a sua contribuição de hoje tem que esperar 10 anos para ser tributada em 10%. O que nós sugerimos aos nossos clientes ao chegarem no seu período de usufruir do dinheiro, é que os depósitos sejam interrompidos e que os saques feitos sejam apenas daquelas contribuições que tiverem as menores alíquotas de imposto, pois o primeiro depósito que entra é o primeiro que sai no momento do saque.

Você ainda tem dúvida? Mande um e-mail para a nossa equipe comercial para o endereço martinellejr@apxinvestimentos.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *